quarta-feira, 2 de novembro de 2011

das amizades

Fazemos vénias em letras grandes às pequenas pessoas que preenchem uma vida, mesmos sabendo que na maioria das vezes não lhes damos todos os abraços devidos.
Achamos nas palavras as memórias do que já vivemos e sorrimos, sorrimos porque sabemos na despedida, que este foi mais um momento na eternidade das nossas vidas e sorrimos, mais uma, e outra, porque afinal o sentido dos gestos funde-se no próprio sentido da amizade.
E os dias colam-se na amargura do tempo que passou mas sabemos sempre que por mais longe que estejamos a distância une a amizade que nunca terminou.
Faz-me um dia de pura amizade porque isto, meus caros, ultrapassa qualquer entendimento unilateral.
Saber que se é aquilo que a pessoa nos deu no passado é a recompensa de uma vida.
E por isso não esqueço que os verdadeiros símbolos do amor-amizade não se perdem numa sms ou num like.
Há coisas que a modernidade nunca poderá vir a alterar, o sentimento de estar com quem nos pertence é uma delas.
Enviar um comentário